domingo, 31 de outubro de 2010

Só no que se fala

O que mais se ouve por aí? Aquecimento, desmatamento, derretimento... A razão para tanto "mento" é o lixo, o descaso e a falta de reflexão nas consequências dos seus atos. Isso é só no que falam os meios de comunicação e é a verdade! Isso não é de hoje, não é de hoje que o homem se acha o tal e nem se preocupa com não só a saúde dos outros como a própria. O homem polui, desmata e acaba com seu próprio planeta. Chamo isso de auto-destruição. Quando as pessoas vão agir? Até porque avisadas elas já foram!

Trazendo a Arca - Serás Sempre Deus

"Quando brilha o sol ou se a chuva vem,
Quando estou mal ou então, se tudo está bem,
Quando dizes sim,
Quando dizes não,
Se ouço a tua voz, ou não, quando em silêncio estás,

Serás sempre Deus e sempre me amarás,
Não desampararás,
Nem desistirás.
E ainda que a dor me diga que não sei que é por amor,
Estás me ensinando que sempre és Deus"

Viajantes do tempo - Último capítulo

No capítulo anterior, um chocolate desconhecido e todos num quarto só...

K’lango se nega a dormir no mesmo lugar onde Toyn vai dormir. K’margo diz que está cansada dessa situação e promete que vai fazer de tudo pra que as coisas mudem. Todos dormem no chão (o que as meninas adoram) nessa ordem: Mamuth, Jujuba, Toyn, Cleu, K’margo e K’lango. Por um bom tempo, ficam calados. A manhã chega e só Mamuth, Cleu e Toyn dormem bem. A velhinha, dona da pensão, chama para o café. Todos comem e vão embora, enquanto, mais uma vez, K’langueth, a cientista, se estressa e dá um murro na máquina.
Num piscar de olhos, os seis amigos passam da era medieval aos anos 70. Logo que chegam a algum lugar, percebem que K’langueth não os esqueceu. Mal sabem eles que no presente, onde ela está, não passaram duas horas. Mamuth propõe uma caminhada para saber onde estão exatamente. Eles não passam nem meia hora rodeando o local e K’langueth já aperta outro botão da máquina que os leva longe demais: no ano 3005. Naves espaciais causam chilique nas meninas, principalmente em Cleu. Voando pra lá e pra cá, causam enjoos em K’margo que desmaia. Todos notam o silêncio e vêem K’margo desmaiada no chão. K’lango dá um grito e se joga perto de onde ela (K’margo) está. K’lango dá um tapa na cara de K’margo. Todos apreensivos pra ver se ela acorda. Ela abre os olhos e solta um sonoro bordão: “Vai pra m...”. Todos riem. Depois que todos param de rir, Cleu dá uma gargalhada. Todos voltam a rir...
K’langueth aperta o mesmo botão e os traz de volta. Mamuth e K’margo ainda riem, Toyn e K’lango só se olham. Jujuba diz que Cleu é muito burra, Cleu diz o mesmo sobre Jujuba. E assim todos vão embora, menos Toyn e K’lango que ficam se olhando. K’margo, percebe a “matutice” e diz: “vocês vão resolver isso ou eu vou ter que arrumar um tijolo pra jogar em vocês?” Os três riem e K’margo vai embora. Toyn pede desculpas. K’lango fica meio indecisa mas depois os dois se beijam e começam a namorar. Vocês notaram que foi dito que eles tinham ido embora? Pois não foram! Ficam á espreita só esperando o que ia acabar acontecendo. K’margo olha pra Mamuth e ele diz: isso é que é aventura! Todos riem e (agora sim!) vão embora!