quarta-feira, 12 de junho de 2013

Não negue que há!

Há um caminho doce de pequenas espetadas que leva a uma Estrada mais escura que a noite sem estrelas. Há um pequeno rio que te acompanhará de bom grado com seu gemido. Há uma brisa fria que aliviará o peso do calor do sol enquanto teu pé não tocar a Estrada. E ao chegar a ela, não verás mais nada, mas sentirás como se conhecesses de cor onde pisas e onde as cobras rastejam. Não sei se a música será tua guia ou se o silêncio. Há quem diga que só sentir a respiração de teu Criador te faz sorrir enquanto fizer da Estrada tua trilha. Mas, se escolheres outra direção, precisarás de teus olhos. Ser-te-ão dadas sementes a despeito do rumo a que tuas escolhas te levarem. Há cobras que se alimentam das sementes que jogares e se transformam em homens cegos. Há outras que não as comem. Tu não o saberás, mas semeia! Disseram-me que há uma luz muito forte no final dessa estrada. Viverás ao lado dela e nunca mais precisarás vagar.