terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Audio Adrenaline - Raise the banner (levante a bandeira)

Feliz dois mil e catorze!

Cabisbaixo, olha intensamente uma folha de papel e, como num estalo, surge uma palavra: tempo. Nada mais efêmero do que nós mesmos. Nada mais alucinante que o livre-arbítrio. Nada tão desgastante quanto viver. E quem não se desgasta, de que serviu viver? De que serve se resguardar - se for esse o objetivo - e a morte chamar o vento para levarem os planos de uma vida? O sempre é mais confortável! Permita-me dizer que a constância põe em segurança, ao mesmo tempo que põe em cativeiro. Mas eu desejo o sempre. Por que desejar o que será tirado? Eu desejo o sempre. Então, que, nesse ano que já bate à porta como quem está prestes a invadir, aquele que tem poder para mandar regredir a dupla de convenientes - a saber, a morte e o vento - possa permitir que vivamos como quem espera, mas faz algo antes que chegue. E eu só tenho agradecimentos. E que venham mais!